foto7opt

Qual o sentido daquilo que fazemos ?

Essa frase reflexiva vem a partir do vídeo da palestra de Mario Sergio Cortella, provoca-se em pensar nas seguintes perguntas:

“Qual é a marca que eu e você deixamos?”

“Você vê sentido no que faz?”

Às vezes nós paralisamos nos eventos cotidianos e nós paralisamos (cristalizamos) nosso fazer laboral, onde não há espaço para (re)inventar e para (re)criar; não temos tempo, estamos cansado, o sistema do seu trabalho te captura num ciclo de desistência da vontade de mudar. Vive-se aprisionados no mesmo, num mundo da dinâmica, da instantaneidade, Ele relembra a musica do Carlos Imperial chamada A praça: “A mesma praça, o mesmo banco, as mesmas flores e o mesmo jardim”.

“Verifique se o mesmo encontra-se parado” (placa do elevador)

“Você continua parado no mesmo?”

Cortella usa dois termos super interessante autopsia, é a identificação da causa da morte; e biopsia é observar de uma coisa viva a causa do problema e corrige para que ela continue viva. Ele utiliza para questionar a forma que o professor olha para seus alunos, mas podemos expandir para a forma que olhamos para as pessoas do nosso dia a dia, na nossa casa, trabalho e amigos.

Questiona-se o modo que você exerce sua profissão, ele utiliza o professor. Mas, esse exemplo pode se utilizar para as outras profissões:

Professor diz: “Os alunos de hoje não são mais os mesmo”

(…) apesar de saber que os alunos não são mais os mesmo, continua a dar aula do mesmo modo que ensina há 15 ou há 20 anos. Se sabe que não são mais os mesmos como é que continua fazendo do mesmo jeito? Quando dá errado de quem é a culpa? Dele que não quer saber de nada (…)

 

Confira a palestra do Cortella ele foca mais na docência, mas vale a pena conferir:

 

 

Tamires Mascarenhas

Psicóloga CRP-16/3601
www.tamiresmascarenhas.com

HNCK4005

O sucesso esmagador

“Estamos sempre à beira de se tornar grande ou perder tudo” (5)

Com o desenvolvimento de um sucesso rápido, frágil e cativante; cada dia mais, pessoas como Mark Zuckerberg, Mike Krieger, Jan Koum, Chad Hurley, Steve Chen, Jawed Karim, Larry Page, Sergey Brin e Elon Musk se tornam inspiração/modelo de sucesso a ser alcançado. Suas vidas são expostas de modo exemplar e romantizada o qual aparentemente tudo se desenha de modo empolgante e inspirador. Toda a luta, persistência, fracassos e demônios carregado por eles são misteriosamente ignorados; e formalizam um modo de ser desconexo entre a vida retratada e real.

 Esses sentimentos antagonistas depressão, desespero, ansiedade, inutilidade e perda são afetos que nesta lógica sinalizam fraqueza e vergonha. Valorizam-se proatividade, criatividade, iniciativa, bom humor, felicidade, enérgico e motivado;

 Um passo para descontruir essa realidade, há vários empreendedores divulgando em site e blogs, textos sobre os sentimentos e situações vividas por eles que retratam sentimentos como tristeza, ansiedade, depressão e tendências suicídias. Esse relatos começaram a surgir após o estarrecimento aos casos de suicídios como do Jody Sherman o criador da Ecomom (fornecia informações sobre produtos ecológicos para mães) que morreu aos 47 anos, após sua companhia falir. E do Ilya Zhitomirskiy, um dos quatro fundadores da rede social Diaspora (era para ser uma alternativa ao Facebook) morreu aos 22 anos.

Esse sucesso caracterizado pela cultura e mídia; são atualizados por nós. Adoecem os jovens e adultos. O filme “se enlouquecer não se apaixone”, mostra um exemplo do sucesso esmagador, confira o vídeo:

 

 

Tamires Mascarenhas
Psicologa CRP-16/3601
www.tamiresmascarenhas.com

 

Bibliografia: 

  1. http://link.estadao.com.br/noticias/geral,cofundador-do-anti-facebook-morre-aos-22,10000037377

  2. http://m.olhardigital.uol.com.br/noticia/a-historia-de-uma-startup-falida-e-o-suicidio-de-seu-fundador/33696

  3. https://www.linkedin.com/pulse/o-pre%C3%A7o-psicol%C3%B3gico-do-empreendedorismo-andr%C3%A9-bartholomeu-fernandes

  4. https://benhuh.com/2011/11/29/when-death-feels-like-a-good-option/

  5. http://seanpercival.com/2013/02/01/when-its-not-all-good-ask-for-help/

  6. http://www.inc.com/magazine/201309/jessica-bruder/psychological-price-of-entrepreneurship.html

  7. https://medium.com/copy-hacks/o-v%C3%ADrus-do-empreendedorismo-sem-sentido-est%C3%A1-acabando-com-voc%C3%AA-fd62c32690d#.sq7029uxx