História das Psicólogas Brasileiras

Não é de hoje que vemos as mulheres se destacando profissionalmente em inúmeras áreas de atuação. E por muitas vezes, pioneiras na história internacional e nacional. De extrema e notória importância na atuação dos campos profissionais da nossa atualidade.

As mulheres estão presentes em vários campos multiprofissionais de atuação em nosso país. Encontramos-nos, principalmente, com maestria, nos meios de atuação da saúde mental, a Psicologia. Seja de forma á desenvolvê-la através de pesquisas, ministrando aulas, atuando no campo da Psicologia clínica, ou mesmo, em inúmeras outras formas de atuação neste vasto campo profissional.

Podemos ver internacionalmente mulheres que compõe a história da fundamentação e raízes inicias da Psicologia: Dorothea Dix (1802 – 1887); Christine Ladd Franklin (1847 – 1930); Emma Sophia Baker (1853 – 1943); Mary Whilton Calkins (1863 – 1930); Leta Hollingworth (1886 – 1939); Anna Berlines (1888 – 1977); Margareth Floy Washburn (1871 – 1939); Ana Freud (1895 – 1982); Inez Beverly Prosser (1895 – 1934); Eleanor Gibson (1910 – 2002) e Mamie Phipps Clark (1917 – 1983)

No Brasil a psicologia teve dois caminhos de entrada: no início do século XX pelos cursos de formação de professores e de pedagogia; alguns anos mais tarde pela “psicologia industrial”, como a maior industrialização dos centros urbanos. Os primeiros cursos de formação específica em psicologia datam da década de 1.950.

Em âmbito nacional, o Brasil e a psicologia receberam grandes contribuições para sua fundamentação local, atuantes com grande importância e reconhecimento, vejamos alguns grandes nomes:

Nise da Silveira (1905 – 1999): Psiquiatra, ela revolucionou a era dos Manicômios no pais, implantou Terapia Ocupacional como forma de tratamento; usou a arte para tratar de problemas graves da saúde mental; introduziu o contato com animais domésticos como tratamento para psicóticos; questionou os manicômios e os revolucionou; teve reconhecimento de Jung e após uma temporada na Suiça, convidada por ele, voltou para o Brasil e em 1958 ela criou o Grupo de Estudos C. G. Jung no Rio de Janeiro. Criou o museu do inconsciente, com as obras de arte dos seus pacientes.

Annita de Castilho e Marcondes Cabral (1911 – 1991): Graduada em Filosofia e Ciências Sociais; criadora da Associação Brasileira de Psicólogos – ABP (1954) e considerada a pioneira da criação e implantação do curso de Psicologia no país (1958)

Madre Cristina Sodré Doria (1916 – 1997): Graduada em Filosofia e Pedagogia; foi uma grande ativista social, sendo perseguida na Ditadura Militar. Implantou projetos sociais. Fundou o Instituto Sedes Sapientiae, que oferece cursos de especialização nas áreas de pedagogia, psicologia e filosofia, mas é principalmente uma instituição aberta para a discussão dos temas ligados à desigualdade social, com a participação ativa de movimentos como os que congregam os sem-terra e os defensores das causas indígenas.

Carolina Martuscelli Bori (1824 – 2004): Pedagoga; divulgou a Psicologia como ciência e fez parte da comissão organizadora de regulamentação da profissão.

Silvia Lane (1933 – 2006): Graduada em Filosofia, pioneira da Psicologia Social, ajudou fundamentar o curso de pós graduação na área (PUC); participou da fundação da Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO) e da Associaçao Latino-americana de Psicologia Social (ALAPSO); possui um vasto conteúdo publicado nacional e internacionalmente.

Outras pioneiras, de grande importância e reconhecimento; com uma vasta atuação nacional em conselhos; associações; regulamentações da profissão; pesquisa e desenvolvimento: Anita Barreto; Helena Antipoff; Noemi Rudolpher da Silveira; Anniela Ginsberg; Mira Y Lopez; Myrian Valtrude Patittuci Neto; Elisa Dias Velloso e Therezinha Lins de Albuquerque; Tânia Maria Guimarães e Souza Monteiro; Virgínia Leone Bicudo; Odette Lourenção Van Kolck; Rosaura Moreira Xavier; Fany Malin Tchaicovski; Geraldina Porto Witter; Maria do Carmo Vieira; Mathilde Neder e Thereza Pontual de Lemos Mettel.

Contudo, após tantas referências citadas, onde encontramos tanto empenho e dedicação para a Psicologia; encontramos no cenário atual, segundo o Conselho Federal de Psicologia (CFP – 2012), mulheres constituindo 90% da categoria, ou seja, 09 a cada 10 profissionais da área são mulheres; onde atuamos principalmente, com 45%, na área de saúde; 12%, na área organizacional e o mesmo percentil para a área Educacional; Assistência social, 10%; Trânsito e Jurídica, 4% para cada categoria; na Clínica e em Projetos Sociais, somos a composição de 3%, para cada área; Direitos humanos, 2%; Comunicação social, Formação, e questões de gênero, com 1% para cada categoria.

Sabemos que em muitas profissões, como na Psicologia, a mulher esteve presente. Com um papel indispensável, seja no passado, presente ou futuro; escrevendo e atuando na extensa composição histórica, mas isso não se restringe apenas às profissões. Somos importantes e indispensáveis para todas as ocasiões que regem vida, seja em: família, na sociedade e nas relações intra e interpessoais; estamos presentes na composição mercadológica e financeira; econômica e cultural do Brasil e do mundo.

Referências

Lhullier, Louise A.; Roslindo, Jéssica J.; Moreira, Raul A. L. C. Uma Profissão de muitas e diferentes mulheres. 2012. Disponível em: <www.site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2013/03/Uma-profissao-de-muitas-e-diferentes-mulheres-resultado-preliminar-da-pesquisa-2012.pdf>. Acessado em 05/03/2018.

Castro, Ana Elisa; Yamamoto, Oswaldo H. A Psicologia como profissão feminina. 1998. Disponível em: <scielo.br/pdf/epsic/v3n1/a11v03n1.pdf>. Acessado em 05/03/2018

Soares, Antonio. A Psicologia no Brasil. 2010. Disponível em: <www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932010000500002>. Acessado em 05/03/2018

Campos, Regina Helena de Freitas. História da Psicologia. 2008. Disponível em: <www.books.scielo.org/id/c2248/pdf/freitas-9788599662830.pdf>, Acessado em 05/03/2018

 


Lícia Marchiori Crespo

Graduada em Hotelaria pelo SENAC, Águas de São Pedro/SP. Cursando o 4º Período de Psicologia pela UNIP, Vitória/ES. Atuou como docente de Hotelaria, SENAC/ES, 2014. Desde 2013, atua em consultorias e treinamentos para Meios de Hospedagem e A&B. Trabalha como voluntária e idealizadora de projetos sociais, nacionais e internacionais, desde 2005.

 

Atendimento Psicológico Online

 

A pandemia da COVID-19 realizou uma mudança estrutural, nós fez deparar com a necessidade de distanciamento social por isso estamos oferecendo a modalidade de atendimento psicológico online.  Esta modalidade da prestação de serviços psicológicos está regulamentada pela Resolução CFP n° 011/2018  e Resolução CFP nº 004/2020.

Para contratar o serviço entre em contato:

Telefone: (27) 9 9272 4701          

E-mail: contato@quallitypsi.com.br

 

 

 

Uso de Testes Psicológicos Presencial e Online (Remoto)

 

Com a Pandemia do Coronavírus (COVID-19) temos que (re)pensar nosso modo de trabalhar e exercer nossa profissão, por isso iremos trazer um pouco sobre os testes psicológicos em geral. 

Na utilização dos testes psicológicos necessita-se segui rigorosamente as instruções do manual porque alguns fatores podem comprometer a Fidedignidade, Validade e Padronização do instrumento aplicado. Outro fator importante é observar o examinado previamente e no dia da aplicação, pois este pode ter algumas características que podem influenciar o resultado.

Antes da aplicação é importante avaliar a pessoa possui alguma dificuldade ou impedimento de saúde, como por exemplo, daltonismo, problema motor, uso de medicamento regular, e outros; dessa forma poderá escolher o instrumento psicológico que se configura adequadamente para a situação, no dia é importante examinar como a pessoa está emocionalmente ou se está sobre ação de algum medicamento ou substância que altere seu estado.   

Na aplicação é importante estabelecer o rapport e explicar bem a instruções a fim de evitar ansiedade e erros. Fornecer ao examinado um local adequado em espaço, iluminação, cadeira (destro, canhoto) e outros aspectos. Na correção e avaliação do teste deve seguir as instruções apresentadas no manual, importante também saber se este está favorável ou desfavorável pelo Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos (SATEPSI).

Atualmente nós temos disponível testes informatizados ou online (remoto) o Conselho Federal de Psicologia elaborou uma Nota Técnica Nº 7/2019/GTEC/CG que substituiu a Nota Técnica Nº 5/2019. Já é autorizado a atuação profissional realizada por meios tecnológicos da informação e comunicação, respeitando o Código de Ética Profissional e a regulamentação de testes. Assim, ficamos com as opções de aplicação presencial e computorizada.

Nesta modalidade também é de extrema importância o estudo do manual do teste psicológico aprovado no Satepsi para aplicação correta, conforme já citada. Segue alguns testes que podem ser utilizados de modo online: Esavi Escala – QVT, G-38, NEO FFI-R, NEO PI-R, TEM-R e outros. 

Abraços 

Tamires

 

 

Podcast Psique: Atuação do Psicólogo no Hospital (Psicologia Hospitalar)

 

 

 

Podcast Psique é uma conversa sobre o cotidiano da psicologia. Nessa temporada (T01) iremos explorar a atuação profissional do psicólogo.

Neste episódio (T01E04) iremos falar da Atuação do Psicólogo no Hospital e conversamos sobre Psicologia Hospitalar. Convidamos o psicólogo Lucas Bastos que atua em UTI e clínica, para explorar essa temática e informar algumas dicas para quem deseja ingressar nessa atuação.

Caso seja psicólogo e queira compartilhar sua experiência profissional conosco através do podcast envie e-mail para contato@quallitypsi.com.br

Contato do Lucas: lucasbrolim@gmail.com

 

 

QProjetos: Plantão psicológico – Atendimentos em situações de crise

É importante ligar para confirmar as possibilidades de atendimento

O Plantão Psicológico, poderá ser individual ou em grupo, se propõe atender pessoas em situação de dor psíquica intensa que necessitam de cuidado/apoio emergencial. Dessa forma, a Quallity Psi acolhe o sofrimento do cliente, no momento em que ele necessita.

O objetivo do Plantão é atender a demanda em um momento de crise e podemos também realizar encaminhamentos para outros serviços mais adequado (como psiquiatra, hospital e outros). 

Os plantonistas oferecem espaço de acolhimento e escuta clínica e estão disponíveis para acompanhar. Não há restrições de idade para o atendimento, porém menores de 18 anos devem vir acompanhados por um responsável legal e/ou autorização assinada por eles.

Para mais informações ligue para o telefone (27) 9 9257 2161.

 

 

Podcast Psique no Spotify

Podcast Psique é um bate papo sobre o cotidiano da profissão da psicologia com temáticas variadas. Nós dividimos os assuntos por cor para você poder identificar qual área de interesse e quer escutar.

escute em

Escute todos os episódios

Veja os episódios recentes

Maternidade e Carreira

Neste episódio (T03E06) iremos falar sobre Maternidade e Carreira, conversamos com Barbara Subtil sobre dicas de como harmonizar sua carreira e a maternidade. Caso queira compartilhar sua experiência profissional conosco através do podcast envie e-mail para contato@quallitypsi.com.br

Liderança e seus desafios

Neste episódio (T03E04) iremos falar sobre Liderança e seus desafios, conversamos sobre como ser liderança, lidar com erros e superar os desafios. Convidamos Silmar Strübbe, Coaching de Carreira, Consultoria em Gestão de Pessoas, treinamentos, palestras e Workshop. Caso queira compartilhar sua experiência profissional conosco através do podcast envie e-mail para contato@quallitypsi.com.br

Atuação do Psicólogo no SUAS

Neste episódio (T01E01) iremos falar da Atuação do Psicologo no SUAS, para isso convidamos duas psicólogas a Dioneia de Jesus e Tamires Mascarenhas, para explorar a temática com ênfase na atuação no CRAS. Caso seja psicólogo e queira compartilhar sua experiencia profissional conosco através do podcast envie e-mail para contato@quallitypsi.com.br